Mitos e verdades sobre o glúten

Autor: Susan Bowerman
Conheça as principais ciladas que você deve fugir para não comprometer seu emagrecimento!

Tire suas dúvidas sobre um dos nutrientes mais polêmicos dos últimos tempos

 

Retirar o glúten da alimentação acabou se popularizando entre as pessoas que pretendem emagrecer. Mas será que ele realmente faz diferença na dieta e faz mal à saúde? Acabe com essas e outras dúvidas a seguir!

O glúten é importante para o preparo dos alimentos?

Verdade. O glúten é um composto de proteínas encontrado em grãos como o trigo, aveia, centeio, malte e cevada, que deixa a massa mais elástica, oferecendo uma textura macia a pães, bolos e biscoitos.

Glúten faz mal à saúde?

Apenas as pessoas com alergia ou intolerância ao glúten devem seguir uma rigorosa dieta livre desse nutriente. Estima-se que apenas cerca de 1% da população tem a forma mais grave, conhecida como doença celíaca — condição que impede a boa digestão dessa substância por conta de uma alteração no intestino. Caso contrário, o glúten pode ser consumido pela maioria das pessoas, sem nenhum problema.

Para informar a presença ou não do ingrediente aos celíacos, uma lei prevê que todas as embalagens de produtos alimentícios coloquem a informação “contém glúten” ou “não contém glúten”.

Cortar glúten emagrece?

Não necessariamente. Em muitos casos, as pessoas perdem peso porque cortaram o excesso de carboidratos ingeridos, como massas e pães, que geralmente têm alto valor calórico. A restrição de glúten em si não tem qualquer ligação com a perda de peso. E a maioria dos produtos sem glúten contém a mesma quantidade de calorias da versão convencional.

Se o intuito é emagrecer, basta manter uma alimentação saudável e equilibrada - cortar o glúten não é necessário - e praticar atividade física regularmente.

Quem corta glúten se sente melhor?

Mito. O glúten só faz mal às pessoas intolerantes e alérgicas a ele. Além disso, os alimentos que carregam essa proteína também são fontes de outros nutrientes importantes para a saúde, como a vitamina B e ácido fólico. Portanto, eles fazem parte de uma alimentação saudável e balanceada.

Fontes: Dr. Nataniel Viuniski, médico nutrólogo especializado em obesidade e Membro do Conselho para Assuntos de Nutrição da Herbalife. E Susan Bowerman, diretora de treinamento nutricional da Herbalife Internacional.